“Portugal terá um papel importante no futuro do Hidrogénio Verde na Europa”

No evento de apresentação do “Atlas Nacional do H2 Verde Sustentável”, a Bondalti reforçou o seu compromisso com o “Hidrogénio Verde”, no quadro de uma “transição energética sem precedentes”.

 

Portugal terá um papel decisivo no futuro do hidrogénio verde na Europa e a Bondalti está a trabalhar para integrar esta fonte de energia na sua cadeia de valor. Esta foi uma das ideias-chave transmitidas por José Nogueira, project manager da companhia, durante a apresentação do “Atlas Nacional do H2 Verde Sustentável”, recentemente realizada em Lisboa.

 

A nova iniciativa estratégica para o H2 Verde em Portugal foi apresentada no LNEG - Laboratório Nacional de Energia e Geologia. Trata-se de uma ferramenta que facilitará o processo de decisão quanto à localização de projetos de Hidrogénio Verde em Portugal continental. Desenvolvido pelo LNEG, em colaboração com várias entidades públicas e privadas nacionais, pretende-se que seja um apoio na transição para um país neutro em carbono.

 

No evento de apresentação, que contou com a presença de João Galamba, Secretário de Estado do Ambiente e da Energia, José Nogueira começou por contextualizar a “transição energética sem precedentes” que estamos a viver. Respondendo à pergunta que lhe foi lançada, “Porquê investir em H2 Verde em Portugal?”, este responsável da Bondalti sublinhou a “importância de tópicos como a segurança de abastecimento e a independência energética”. Neste cenário, o nosso país apresenta vantagens: “Em Portugal, a produção de H2 Verde assentará em energia elétrica renovável proveniente essencialmente de parques solares e eólicos. Estes ativos têm custos operacionais marginais e são imunes a efeitos geopolíticos, tornando extremamente previsível e resiliente o custo de produção de H2 Verde daí resultante.”

 

“Com uma boa estratégia nacional - prosseguiu - e com as políticas de suporte adequadas, será possível produzir H2 Verde competitivo com o H2 Cinzento, numa primeira fase, e competitivo diretamente com o gás natural, numa segunda fase. Portugal terá um papel muito importante a desempenhar no futuro do H2 Verde na Europa.”

 

A Bondalti, maior empresa do setor químico em Portugal, “tem um plano ambicioso de transição climática”, assegurou José Nogueira. “Porque acreditamos que o futuro da indústria química terá que ser neutro em termos de emissões de CO2 e com um impacto mínimo nos ecossistemas locais. Este futuro só será possível com a incorporação de H2 Verde nas atuais cadeias de valor”.