AEMA assegura ETAR do novo Complexo do Ibérico da Estremadura

A nova estrutura de tratamento de efluentes tem capacidade para um caudal de 950 m3 diários.

A AEMA, empresa participada da Bondalti em Espanha, especializada no tratamento de águas, vai construir a estação de tratamento de águas residuais (ETAR) do novo Complexo do Ibérico da Estremadura (CIBEX), uma das maiores infraestruturas de processamento industrial dedicada à espécie do porco ibérico, que irá nascer em Zafra (Badajoz).

 

O projeto tem como promotores as empresas Campofrío, Industrias Cárnicas Villar (Grupo Costa Food), Estirpe Preta (Argal), Grupo Alejandro Miguel, IBERCOM (Ibérico Comercialización), Montesano e Señorío de Montanera.

 

“É visível o nosso compromisso em contribuir para a conservação dos recursos naturais e o desenvolvimento sustentável através da implementação de uma política ambiental eficaz, que minimize os riscos ambientais”, refere o Conselho de Administração do Complexo do Ibérico da Estremadura.

 

A conceção da nova ETAR visa cumprir parâmetros de descarga mais exigentes do que os da portaria municipal de Zafra. O projeto consiste em três etapas: uma primeira onde será feito o desbaste e eliminação de sólidos e gorduras com tratamento físico-químico e sistema de flotação; a segunda com sistema de purificação biológica aeróbia sequencial SBR; e a terceira com um sistema de armazenamento e desidratação de lamas. Todo este processo será gerido por meio de um SCADA (sistema de monitorização e aquisição de dados) customizado da AEMA, e com recurso a elevada automação.