Alunos de Química brilham em competição internacional

Portugal conseguiu o melhor resultado de sempre nas Olimpíadas Ibero-americanas de Química, tendo obtido duas medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze.

A XXIV edição das Olimpíadas Ibero-americanas de Química realizou-se de 9 a 15 de setembro, com organização da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, em colaboração com a Sociedade Portuguesa de Química. Delegações enviadas por 17 países – Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Espanha, México, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, Uruguai e Venezuela –, num total de 59 estudantes, juntaram-se para testar conhecimentos numa prova teórica e outra laboratorial, cada uma com cinco horas de duração.

 

A delegação portuguesa foi constituída pelos estudantes André de Sousa Guimarães, do Externato Marista de Lisboa, Armando L. M. Gomes Teixeira, da E. S. de Ermesinde, Diogo Mendes Sampaio, do Colégio do Ave, e Paulo M. Teixeira Cortesão, da E. S. Infanta D. Maria, e pelos mentores João Pereira e Vasco Batista, da Universidade de Aveiro. André e Armando obtiveram uma medalha de ouro cada, Paulo uma medalha de prata, e Diogo uma medalha de bronze, naquele que foi o melhor resultado de sempre de Portugal nesta competição.

 

Portugal acolheu pela segunda vez uma edição das Olimpíadas Ibero-americanas de Química, após uma primeira realização, em 2006, na cidade de Aveiro.