PROJETO DE MESTRADO DESENVOLVIDO NA INNOVNANO RECEBE PRÉMIO

Laura Holz foi a vencedora da terceira edição do Prémio Faria Frasco com o seu projeto de Mestrado, desenvolvido na INNOVNANO e denominado “Yttria-Stabilized Zirconia with Beige Colour”.

“Fiz o meu estágio na INNOVNANO, que produz pós de zircónia com diferentes características e que, atualmente, tem clientes interessados em cerâmicos à base de zircónia estabilizada com ítria de coloração bege e com propriedades mecânicas específicas”, conta a antiga aluna do Departamento de Engenharia de Materiais e Cerâmica da Universidade de Aveiro.

 

Assim, o trabalho que realizou pretendeu desenvolver um material que cumprisse estes requisitos, tendo estudado o efeito da adição de óxido de ferro na matriz da zircónia estabilizada, tanto do ponto vista microestrutural, como estrutural, ótico (cor) e mecânico. “A dopagem com óxido de ferro revelou ser um mecanismo de coloração adequado, reprodutível e irreversível, permitindo o desenvolvimento de um material com a coloração desejável e com elevadas propriedades mecânicas, como tenacidade à fratura, dureza e resistência à flexão biaxial”, explica Laura.

 

Instituído pela Sociedade Portuguesa de Cerâmica e Vidro em 2015, o Prémio Faria Frasco é uma homenagem ao primeiro presidente da Sociedade e tem por objetivo incentivar a produção de projetos originais de jovens investigadores, na área da Cerâmica e do Vidro. Tem o valor monetário de dois mil euros e premeia um trabalho inédito, desenvolvido em território nacional, de caráter tecnológico ou científico, cuja aplicação industrial seja promissora.

 

Laura Holz está feliz por ver o seu trabalho reconhecido desta forma. “É uma sensação ótima. É o colher de frutos de um trabalho longo e árduo, que foi de todos os que estiveram envolvidos desde a primeira hora”.

 

Já Javier Montiel, cientista de Investigação e Desenvolvimento na INNOVNANO e orientador do trabalho de Laura, mostra-se orgulhoso da jovem investigadora e destaca a importância destas parcerias: “Estamos a contribuir para que o trabalho universitário, mais científico, chegue a um objeto concreto, e isso é muito importante para nós. Esta é a segunda vez que um trabalho desenvolvido na INNOVNANO recebe este prémio, o que valida a aposta da empresa nos novos investigadores e na relação com a universidade”, diz, referindo-se à vitória de Sara Raquel Marques Sequeira na primeira edição do Prémio Faria Frasco, com a tese “Desenvolvimento de compósitos de zircónia para implantes ortopédicos”.

 

Mas o trabalho de investigação não para, e Laura Holz encontra-se já a tirar o doutoramento na área dos materiais para reatores eletroquímicos, tendo como parceiros a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, a Universidade de Aveiro e a Bondalti.